Pedreiras teve extensa programação para celebrar o dia nacional de combate ao abuso e à exploração sexual contra crianças e adolescentes, nesta quinta-feira (18/05), cuja temática “Esquecer é permitir, lembrar é combater”, foi tratada dentro da campanha.

“ Hoje não é dia de comemoração, mas de mobilização para a proteção de nossas crianças e adolescentes, porque esta data é marcada por uma tragédia que até hoje acontece frequentemente. E nosso dever é lutar pela prevenção, em busca dos direitos das nossas crianças e adolescentes”, afirmou Cícera de Maria, Conselheira Tutelar.

A programação foi realizada pela Secretaria Municipal de Assistência Social juntamente com o Centro de Referência Especializada (CREAS), Conselho Municipal dos Direitos das Crianças e Adolescentes (CMDC); Conselho Tutelar; Comarca de Pedreiras (Setor de núcleo Psicossocial); Projeto selo UNICEF e Programa Prefeito Amigo da Criança.

Logo pela manhã aconteceu uma blitz de conscientização na Avenida Rio Branco, com mensagens em carro de som, bandeiras, faixas e panfletos explicativos chamando a atenção dos motoristas e pedestres para esta causa, depois a equipe foi até o Mercado Central para dar continuidade à entrega de panfletos.

Já à noite, aconteceram apresentações na Praça do Jardim. O apóstolo Neto Lucena fez oração; em seguida representantes da Secretaria de Assistência Social do CREAS, acadêmicos de psicologia do IPEDE e presidente do CMDC fizeram pronunciamentos voltados para a conscientização sobre as formas de violência sexual, como denunciar, e principalmente, o que fazer para que haja respeito aos direitos das crianças e adolescentes.

A Peça Teatral da Igreja Nova Missionária, apresentaram alguns tipos de abuso e exploração sexual, como na família, na escola e através das redes sociais. Já o Coral Mães de Puro Amor enfatizou em sua apresentação através de músicas as formas de combate e prevenção dessa problemática.

Jocilane Lacerda, presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Crianças e Adolescentes esteve presente apoiando a campanha. “Juntamente com a população e o poder público, estamos hoje nós mobilizando, pois é um dever da sociedade combater o abuso e exploração sexual, porque ultimamente nossas crianças têm perdido o direito de vivenciar, brincar, para ser abusada por agressores que na maioria das vezes é conhecido da família ou próprio familiar. Então é um ato que a sociedade tem que ter consciência de combater pois é uma causa nossa”

No encerramento da programação, várias crianças fizeram uma revoada os balões brancos, simbolizando a paz da sociedade e o respeito com as causas defendidas nas ações do dia 18 de maio.

DIA NACIONAL DE COMBATE AO ABUSO E À EXPLORAÇÃO SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES

No dia 18 de maio de 1973, uma menina de 8 anos foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada no Espirito Santo. Seu corpo apareceu seis dias depois carbonizado e os seus agressores, jovens de classe média alta, nunca foram punidos. A data ficou instituída como o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes” a partir da aprovação da Lei Federal nº. 9.970/2000. O  “Caso Araceli”, como ficou conhecido, ocorreu há quase 40 anos, mas, infelizmente, situações absurdas como essa ainda se repetem.